domingo, 23 de junho de 2019

OS CHUÇOS




Mais um dos trabalhos sobre factos efectivamente ocorridos na saga dos bandoleiros portugueses.
Foi também publicado no semanário "O Crime" . Hoje seguem seis pranchas, correspondentes a 3 páginas do jornal.





terça-feira, 4 de junho de 2019

SARDINHAS DOCES NA TVI


Desta vez foi na TVI, programa "A Minha É Melhor Que a Tua", em representação,com outros dois confrades, da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso. Com o traje "de gala", capa castanha, romeira amarela sobre os ombros, medalha e chapéu à beirão, lá falo eu, em breve introdução, da origem do doce. Estou junto ao autor do programa, José Manuel Santos.
Em baixo, na cozinha da D. Rosa, mestre doceira, lá estou com uma sardinha na boca. Não faço por menos...
Certamente não terá Bandarra sequer imaginado o sabor deste doce da sua amada terra, nem pela sua gula seria chamado aos cárceres da Inquisição; nem D. Dinis apresentou esta guloseima nas suas bodas com Isabel de Aragão, aqui em Trancoso, ou tido o ensejo de provar esta iguaria conventual, tão só por ela ainda tardar, no tempo, a instalar-se na urbe trancosana. Em Bandarra não consta sequer o vaticínio, e sua majestade real, com todos os privilégios a seu favor, viu-se privado deste. Nós, porém, somos uns felizardos…



terça-feira, 28 de maio de 2019

NA PRAÇA DA ALEGRIA (RTP1 PORTO)


Na Praça da Alegria, hoje, com os meus companheiros e os apresentadores do programa. Eu estou de 
cócoras, à frente, o primeiro a contar da esquerda, de calça branca. A minha intervenção foi de cariz histórico, com entrevista feita pelo Jorge Gabriel (Foto de A Praça da Alegria).
Repare-se no cavaleiro à direita - elemento das "Damas e Cavaleiros d' El-Rei" - devidamente trajado (só a cota de malha que lhe envolve a cabeça e parte dos ombros pesa à roda de 10 kg).
Tive oportunidade de, entre outras coisas, corrigir um erro que anda por aí fora divulgado, que é a Feira Franca de S. Mateus, em Viseu, "ser a mais antiga da Península Ibérica" (basta consultarem o "Dr. Google" para verificarem o disparate). Ora, se Trancoso "ainda" faz parte da Península Ibérica, é a sua Feira Franca de S. Bartolomeu mais antiga que a de S. Mateus em 118 anos e meio!
Para melhor dispor os dados, eis aqui a recolha documental e depois fazerem a subtracção: a de S. Bartolomeu de Trancoso foi criada por D. Afonso III em 8 de Agosto de 1273; a de S. Mateus de Viseu foi criada por D. João I em 10 de Janeiro de 1392.
Conforme tive ocasião de comentar e de comparar, é como se eu tivesse nascido antes do meu avô.
Não sei se a Feira Franca de S. Bartolomeu é a mais antiga da Península Ibérica, mas certamente é mais antiga que a Feira Franca de S. Mateus, que se diz ser a mais antiga da Península Ibérica.
O resto, são cantigas, que as leva o vento.

sábado, 18 de maio de 2019

DRAMA E GLÓRIA DOS PIONEIROS



São duas pranchas relativas a dois acontecimentos, desenhados por mim há uns anos, as quais fariam parte de um volume de efemérides. Ambas têm a particularidade de terem como pano de fundo a neve, o gelo e a conquista do desconhecido.

quarta-feira, 15 de maio de 2019

O CRIME DO PADRE FREDERICO



Do portfolio publicado no jornal "O Crime", reproduzo duas pranchas - a 7 e a 8 - de "O Crime do Padre Frederico", um caso que ocorreu no Caniçal, ilha da Madeira. Um rapaz caiu numa ravina e morreu, com contornos estranhos. O padre, que sempre clamou a sua inocência, foi julgado, condenado e fugiu para o Brasil, seu país natal.

terça-feira, 7 de maio de 2019

DESENHOS NA ENFERMARIA



Internado no Hospital de Sousa Martins, na Guarda, depois de ali ter entrado como urgência,
fiquei em Medicina B (Cama 34), a ser devida e condignamente assistido por um grupo de profissionais de grande qualidade.
Para passar o tempo (não digo "para matar o tempo", por o termo não ser apropriado), utilizei uma esferográfica azul e uma preta, elaborando uma série de desenhos. Aí vão dois...

domingo, 14 de abril de 2019

ROMANCE REGIONALISTA: GARNISÉ


É um romance regionalista, inédito. Também inéditas são algumas páginas que desenhei sobre ele. E assim ficarão ambos os projectos, porque não estou interessado em publicá-los e decididamente menos interessado em os entregar ou propor para publicação.
Então vêm aqui, para quê?
Porque esta é a forma que acho para expor a minha paciência, mostrando duas de muitas páginas que fiz, já vão uns anitos, com bonecos...para o boneco.