segunda-feira, 8 de julho de 2019

VOTEM NA "SARDINHA DOCE" DE TRANCOSO



Trata-se de uma sardinha sem espinhas e, ainda por cima, doce. Cabe-me como membro da respectiva Confraria, fazer este apelo ao voto através de uma (ou mais) chamadas telefónicas.
O Município de Trancoso promoveu a candidatura da Sardinha Doce ao concurso "7 Maravilhas Doces de Portugal". Na expectativa de atingir as semifinais do concurso, aquele bem saboroso doce conventual terá de, segundo o regulamento, ficar em primeiro lugar de entre os 7 doces do distrito da Guarda, que chegaram a esta fase. Para tal, será necessário reunir o maior número de votos, que apenas será possível através de chamadas telefónicas para o número 760 107 049 (0,60€ + IVA), até ao dia 10 de Julho, no final do programa em directo da RTP, que terá lugar na capital de distrito, entre as 10h e as 17h30.
Como o “tempo de antena” é distribuído pelo canal televisivo segundo a ordem alfabética da designação do produto, será quase no final do programa de quarta-feira que a “Sardinha Doce” saltará na rede. E eu, como bom Confrade, conto lá estar, participando e falando, se assim me for solicitado, sobre as origens da iguaria.
Também lá estará o Eng. Alexandre Fonseca, Presidente Executivo & Chairman da Altice Portugal, que amavelmente aceitou o convite, apadrinhando a Sardinha Doce de Trancoso.
Se melhor não pergunto, desculpem colocar, à guisa de desafio: de que estão à espera para telefonar para o 760 107 049? E, desde já, o meu agradecimento pelo apoio.

sábado, 6 de julho de 2019

OS MARÇAIS



Bando também conhecido pelo nome de Marçais de Foz Côa, começou por ser uma guerrilha liberal, degenerando depois para assaltos e ajuste de contas com rivais, na sua maioria miguelistas.
Como a série que tenho vindo a expor, publicada no semanário "O Crime", deste registo trago apenas quatro pranchas.



Quero dizer que fui desafiado por um amigo - que a seu tempo direi quem é, se ele autorizar - a publicar todos os episódios dos bandoleiros e demais protagonistas dos registos criminais, em fascículos de formato 21x21, com três tiras por página. No entanto, só iniciarei esse trabalho se houver da parte dos interessados manifesto desejo de aquisição, que deverá ser feita por manifestação prévia, designadamente através dos comentários deste blog.

domingo, 23 de junho de 2019

OS CHUÇOS




Mais um dos trabalhos sobre factos efectivamente ocorridos na saga dos bandoleiros portugueses.
Foi também publicado no semanário "O Crime" . Hoje seguem seis pranchas, correspondentes a 3 páginas do jornal.





terça-feira, 4 de junho de 2019

SARDINHAS DOCES NA TVI


Desta vez foi na TVI, programa "A Minha É Melhor Que a Tua", em representação,com outros dois confrades, da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso. Com o traje "de gala", capa castanha, romeira amarela sobre os ombros, medalha e chapéu à beirão, lá falo eu, em breve introdução, da origem do doce. Estou junto ao autor do programa, José Manuel Santos.
Em baixo, na cozinha da D. Rosa, mestre doceira, lá estou com uma sardinha na boca. Não faço por menos...
Certamente não terá Bandarra sequer imaginado o sabor deste doce da sua amada terra, nem pela sua gula seria chamado aos cárceres da Inquisição; nem D. Dinis apresentou esta guloseima nas suas bodas com Isabel de Aragão, aqui em Trancoso, ou tido o ensejo de provar esta iguaria conventual, tão só por ela ainda tardar, no tempo, a instalar-se na urbe trancosana. Em Bandarra não consta sequer o vaticínio, e sua majestade real, com todos os privilégios a seu favor, viu-se privado deste. Nós, porém, somos uns felizardos…



terça-feira, 28 de maio de 2019

NA PRAÇA DA ALEGRIA (RTP1 PORTO)


Na Praça da Alegria, hoje, com os meus companheiros e os apresentadores do programa. Eu estou de 
cócoras, à frente, o primeiro a contar da esquerda, de calça branca. A minha intervenção foi de cariz histórico, com entrevista feita pelo Jorge Gabriel (Foto de A Praça da Alegria).
Repare-se no cavaleiro à direita - elemento das "Damas e Cavaleiros d' El-Rei" - devidamente trajado (só a cota de malha que lhe envolve a cabeça e parte dos ombros pesa à roda de 10 kg).
Tive oportunidade de, entre outras coisas, corrigir um erro que anda por aí fora divulgado, que é a Feira Franca de S. Mateus, em Viseu, "ser a mais antiga da Península Ibérica" (basta consultarem o "Dr. Google" para verificarem o disparate). Ora, se Trancoso "ainda" faz parte da Península Ibérica, é a sua Feira Franca de S. Bartolomeu mais antiga que a de S. Mateus em 118 anos e meio!
Para melhor dispor os dados, eis aqui a recolha documental e depois fazerem a subtracção: a de S. Bartolomeu de Trancoso foi criada por D. Afonso III em 8 de Agosto de 1273; a de S. Mateus de Viseu foi criada por D. João I em 10 de Janeiro de 1392.
Conforme tive ocasião de comentar e de comparar, é como se eu tivesse nascido antes do meu avô.
Não sei se a Feira Franca de S. Bartolomeu é a mais antiga da Península Ibérica, mas certamente é mais antiga que a Feira Franca de S. Mateus, que se diz ser a mais antiga da Península Ibérica.
O resto, são cantigas, que as leva o vento.

sábado, 18 de maio de 2019

DRAMA E GLÓRIA DOS PIONEIROS



São duas pranchas relativas a dois acontecimentos, desenhados por mim há uns anos, as quais fariam parte de um volume de efemérides. Ambas têm a particularidade de terem como pano de fundo a neve, o gelo e a conquista do desconhecido.